Data Driven Marketing: como o Big Data gera novas receitas

O marketing tem passado por mudanças constantes nos últimos anos. Antigas decisões foram por água abaixo, ou seja, trabalhar apenas com suposições, pressentimentos e epifanias. Atualmente, os profissionais de marketing recorrem a fontes de informações mais confiáveis: os dados.

Alguns, porém, ainda relutam em adotar essa estratégia baseada em dados. Muitas vezes por não saberem onde encontrar dados relevantes ou não terem à disposição ferramentas eficientes para. Em geral, não sabem como acessar, analisar e comparar as informações que possuem.

Antes de começar, queremos te tranquilizar sobre uma coisa: a ideia de marketing orientado a dados pode parecer confuso à primeira vista. Mas você vai notar que muitas estratégias serão familiares, só que bem mais eficientes se baseadas no Big Data. Tentaremos, então, apresentar uma abordagem da maneira mais simples possível. Vamos nessa?

O Data-Driven Marketing é a abordagem ideal para otimizar as comunicações da marca com base em informações concretas. Os profissionais desta área usam os dados para prever necessidades, desejos e comportamentos futuros dos potenciais clientes. Essa percepção ajuda a desenvolver estratégias de marketing personalizadas para o maior retorno possível sobre o investimento (ROI).

O marketing orientado a dados é uma prioridade para os líderes de marketing – 40% das organizações visam aumentar os orçamentos de marketing baseado em dados, e 64% dos líderes de marketing relatam que as estratégias baseadas nesses conceitos são fundamentais na conjuntura econômica atual. 

 

Mas como o marketing orientado a dados se difere do marketing tradicional?

Para entender a diferença, devemos revisitar a premissa original dessa área. Em sua forma mais simples, o marketing sempre se concentrou em dois objetivos:

  • Descobrir as necessidades e desejos dos clientes. 
  • E então, usar esse insight para entregar o que os clientes queriam comprar.

Em termos práticos, isso significava:

Obter uma compreensão profunda do público-alvo, identificando e antecipando as necessidades do cliente para, finalmente, desenvolver estratégias a fim de entregar produtos que prometem resolver essas necessidades. As equipes tradicionais costumavam usar uma combinação de dois fatores para alcançar esses objetivos:

 

  • Estudos de mercado disponíveis na época, e;
  • Suposições, muitas suposições sobre o público-alvo.

Essa abordagem, infelizmente, era frequentemente baseada apenas em tentativa e erro. As empresas tinham que lançar inúmeras campanhas para encontrar aquela capaz de fisgar o público. Um modus operandi, no mínimo, trabalhoso e oneroso. 

Em contraste, o marketing orientado a dados permite que os profissionais do setor se conectem com os clientes no momento certo. E com a oferta certa. Mas os benefícios de usar os dados vão além de apenas melhorar as comunicações. As equipes de marketing modernas usam insights, por exemplo, para:

 

  • Personalização da experiência do cliente,
  • Ganho de novos clientes.
  • Acompanhamento, mensuração e aprimoramento das estratégias em tempo real.
  • Mapeamento / análise da jornada do cliente
  • Teste A / B
  • Personalização de site
  • Segmentação

Entre outras opções para impulsionar os negócios.

 

Os benefícios do Big Data no Marketing

Até agora, discutimos como o Big Data ajuda os profissionais de marketing a tomar melhores decisões, que, por sua vez, geram resultados melhores e mais rápidos. E funciona, pois 2 a cada 3 líderes admitem que as decisões baseadas em dados superam o instinto. 

Além disso, os profissionais de marketing também podem se beneficiar dos dados de outras maneiras. Por exemplo:

 

1 – Big Data ajuda a obter mais clareza sobre o público-alvo

Qualquer informação sobre os clientes permite que os profissionais de marketing tenham uma compreensão precisa de seu público-alvo. Insights do CRM podem aumentar a capacidade de um profissional em prever mais sobre o comportamento do cliente.

O resultado? Campanhas de marketing que garantem o alcance dos clientes com a mensagem certa no momento certo.

 

 2 – Os dados oferecem a capacidade de construir melhores conexões com clientes em potencial

Com os dados, os profissionais de marketing podem construir relacionamentos mais acertadas com a sua persona. Ademais, podem fazer isso de maneira escalável.

Em um artigo na Forbes, Tom Benton, o CEO da Data and Marketing Association, foi preciso: 

“A grande quantidade de dados de uma combinação quase infinita de mídia, dispositivos, plataformas e canais permite que os profissionais de marketing tenham a oportunidade de oferecer experiências de cliente 1 para 1 em grande escala. Se eles forem aproveitados adequadamente, uma empresa, com um milhão de clientes, pode oferecer uma experiência tão personalizada quanto uma empresa com uma dúzia de clientes. ”

Uma boa exemplificação está nos dados de uma campanha em tempo real, que ajudam o profissional de marketing a ajustá-la para corresponder ao engajamento do cliente. Como resultado, podem entregar uma campanha que corresponda às expectativas do público continuamente.

 

3 – Descubra os melhores canais

Os dados podem revelar não apenas as preferências de um público-alvo. Podem, também, sugerir quais canais uma marca deve usar para envolver seu público agora e futuramente. Essa percepção, por sua vez, pode ajudar a posicionar a comunicação onde seu público-alvo está.

 

4 – Personalização

Muitos usuários, atualmente, são céticos em relação às comunicações genéricas de marketing que os impactam.

Um estudo revelou que 74% dos clientes se sentem frustrados ao ver conteúdo irrelevante de marcas. E 79% deles não consideram uma oferta a menos que uma marca a personalize. Logo, os profissionais de marketing devem concentrar os esforços em personalizar a experiência de potenciais clientes.

Com ajuda de dados, é possível:

 

  • Uma visão holística das suas personas. Auxiliam a identificar os gatilhos, intenções e anseios, para uma melhor estratégia de campanha.

  • Gerar informações individuais do cliente, portanto, podem enriquecer a comunicação da marca com o usuário.

Entretanto, será que isso funciona? Segundo a Invesp,  bastante. As empresas que usam a personalização conseguem um ROI 5 a 8 vezes maior

O Data Driven Marketing envolve a coleta de dados do cliente e, em seguida, o uso desses para criar sua estratégia de marketing. Compreender o comportamento do cliente é a chave para entregar o conteúdo certo aos clientes. Em outras palavras, o marketing orientado a dados ajuda a criar conteúdo que está em sincronia com as expectativas, comportamentos e dados demográficos das pessoas que você quer alcançar.

 

Data Driven Marketing e o desempenho dos negócios. 

Os dados são um componente integrante de qualquer estratégia de marketing ou publicidade de sucesso. Outrora um conceito novo, o Data Driven Marketing, agora, é essencial para aprimorar conexões e experiências, fidelizar clientes e, claro, conseguir novas oportunidades de negócio. 

De acordo com a Zoominfo, 78% das organizações afirmam que o marketing baseado em dados aumenta a conversão de leads e a aquisição de clientes; 64% dos executivos de marketing “concordam totalmente” que o marketing baseado em dados é crucial para o sucesso em uma economia global hipercompetitiva; e 66% dos líderes de marketing viram um aumento em novos clientes como resultado de iniciativas baseadas em dados. 

Mas, como mencionamos no início, alguns profissionais de marketing relutam em implementar uma abordagem baseada em dados. 

O autor do livro Performance Partnerships, Robert Glazer, diz que “cliques, o tempo gasto, e as taxas de conversão apenas descrevem o que as pessoas fazem, não o porquê fazem. Altos executivos são viciados em números e tornaram-se dependentes das análises. Esta abordagem não consegue entender o que realmente motiva os clientes”.

Os dados, sem dúvidas, são essenciais para qualquer estratégia, mas nem sempre é a única coisa que vai ajudar a impulsionar seu negócio. As boas ideias, criatividade, e, até mesmo, erros, fazem parte do dia a dia e chegam para somar. O que não faz sentido é errar por insistência a partir de uma ideia equivocada e sem embasamento. 

Permita-nos adaptar um ditado bem conhecido para nossa realidade de Big Data e Data Driven: “Quanto mais dados gerados, mais sorte eu tenho”. O objetivo deste e de tantos outros conteúdos da Zoox é objetivar suas estratégias e torná-las menos baseadas em “achismo”. E, para o setor de marketing, especificamente, poderíamos definir como uma prática de destilação de dados abundantes para entender como fazer ofertas que as pessoas querem comprar.

Seu e-mail não será publicado.

*
*