skip to Main Content
Game XP: Inovação E Tecnologia No Maior Gamepark Do Mundo

Game XP: inovação e tecnologia no maior gamepark do mundo

Game XP: inovação e tecnologia no maior gamepark do mundo

Se o start foi dentro da edição de 2017 do Rock in Rio, em 2018 a Game XP já havia se tornado grande o suficiente para andar com as próprias pernas. Com mais de 90 mil de pessoas dando play para a cultura gamer, a segunda edição do parque dos games aconteceu em setembro de 2018, no Parque Olímpico, como uma parceria entre CCXP, Grupo Globo e Rock in Rio.

Para sua terceira edição, o evento se expandiu ainda mais para proporcionar novas experiências com conforto para o público, ocupando uma área 60% maior no Parque Olímpico, no Rio de Janeiro.

O Play fora dos jogos

O evento ficou conhecido não só por proporcionar experiências com os jogos mais populares do mundo, como League of Legends, Fortnite, Rainbow6 e CS:Go. O debate sobre o futuro da tecnologia e demonstrações das inovações tecnológicas que rodam os parques tecnológicos do globo também tiveram seu espaço garantido, tudo explicado de forma prática e gamificada para facilitar a compreensão do público.

Inova Arena

Com 2,5 mil metros quadrados, a Inova Arena trouxe atrações futurísticas e que prometem mudar a percepção que temos sobre tecnologia, como o 5G. Na arena também aconteceu um debate que contou com a participação de mais de cem palestrantes opinando sobre quatro temas principais: Tecnologia na Educação, Tecnologia na Saúde, Cidades Inteligentes e Gadgets of the Future (robôs, dispositivos de comando de voz, roupas inteligentes etc).

Roberta Coelho, diretora-geral da Game XP, explicou o conceito que originou a Inova Arena e sua importância para o evento. 


“Um dos pontos-chave para a criação desse espaço é que quem se interessa por games, direta ou indiretamente, também se relaciona com a tecnologia. Esse é o princípio do conceito da Inova Arena, já que o Game nada mais é do que a tecnologia utilizada a favor do entretenimento”

Conceitos presentes no nosso cotidiano e pouco conhecidos como  realidade virtual, cidades inteligentes, Internet das Coisas e inteligência artificial foram explorados em atrações diversas dentro e fora da arena.

Realidade Virtual: o futuro dos games

No tema de brinquedos de parques, o evento trouxe uma montanha-russa inédita no país. Foi a primeira com realidade virtual na América Latina, com o conteúdo desenvolvido pela VR Coaster, uma empresa alemã que é a maior desenvolvedora de conteúdo de realidade virtual do mundo. A montanha-russa funciona como o clássico brinquedo, mas com a experiência incrementada pelo uso de óculos de realidade virtual e fones de ouvido, que simulam uma corrida intergalática e um vôo sobre o Cristo Redentor.

O Parque dos Dinossauros também chamou a atenção do público. Com uma fila de 5 horas para a experiência, as pessoas entravam em um grande espaço equipadas com o dispositivo VR com um objetivo: procurar dinossauros! Plataformas de jogos, como a PlayStation, e até marcas não relacionadas a jogos utilizaram o dispositivo para divulgar seus serviços de forma gamificada e atrativa.

Innovation Park

Na edição de 2018, o Innovation Park contou com um espaço de 800m² para o público conhecer e vivenciar tecnologias aplicadas à indústria 4.0, tais como Inteligência Artificial, Robótica, Segurança Cibernética, além de soluções voltadas para a mobilidade, comunicação e cidades inteligentes. A agência realizou ativações que incluíram drones, robôs e aplicativos.

O presidente da ABDI, Guto Ferreira, esteve na edição para apresentar as atrações do Innovation Park:


“Será uma grande oportunidade para os visitantes terem acesso às soluções concebidas pelas indústrias, pelas startups, e poderem criar suas próprias experiências. Tudo de uma forma lúdica e gamificada. É a indústria 4.0 aplicada a inúmeras situações do dia a dia.”

A atração da Rusticon demonstrou um ataque cibernético em estação de jogo no espaço. Enquanto o público estava jogando, armas e valores ganhos no jogo foram “roubados” por funcionários da Rusticon que atacaram os computadores dos jogos. A proposta foi fazer uma simulação de ataque e defesa cibernética para alertar a importância da segurança de dados e para o potencial de geração de empregos na área de defesa on-line.

Já a Phygitall, especialista em Internet das Coisas (IoT), apresentou o jogo Cubo dos Dragões, que consistiu na interação através de aplicativo para localizar os sensores (Cubos dos Dragões) da Phygitall, que foram espalhados no Innovation Park. Os sensores emitiram  sinais para direcionar os jogadores, que tiveram um tempo limitado para localizar os “cubos” dentro do ambiente. Os três maiores ranqueados durante todo o evento ganharam prêmios e brindes.

Uma cápsula de transporte da Hyperloop simulou o sistema de transporte de passageiros e carga, que poderá alcançar até 1,2mil km/h. Seria como realizar o trajeto de São Paulo até Rio de Janeiro em menos de 30 minutos. O sistema desenvolvido pela Hyperloop Transportation Technologies utiliza plataformas elevadas e foi desenvolvido para funcionar sem o atrito e a resistência do ar. A tecnologia envolve levitação magnética e bombas a vácuo para eliminar o ar dos tubos por onde a cápsula se locomove.

Sequência confirmada!

A arrecadação da Game XP 2019 foi superior à última edição. Um estudo da Fundação Getúlio Vargas apontou que foram 10 mil empregos gerados, com impacto econômico de R$ 82,3 milhões. Essa edição, que reuniu 95 mil visitantes nos quatro dias, terminou já com data marcada para a próxima edição: julho de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *