O que é “Internet das Coisas” em 2019?

“Todos nós temos as nossas máquinas do tempo. As que nos levam para o passado são as memórias. As que nos levam para o futuro são os sonhos.” H. G. Wells

Por muito tempo, ter uma casa, uma empresa ou um quarto de hotel conectado e inteligente parecia algo saído de um livro ou filme de ficção científica. Hoje em dia já vivemos nessa realidade, e com uma grande quantidade de dispositivos de Internet das Coisas instalados, temos acesso a várias maneiras de controlarmos e personalizar os ambientes.

O termo Internet das Coisas (Internet of Things, ou IoT) foi cunhado por Kevin Ashton em 1999, e significa uma rede de objetos conectados.

Em um futuro não muito distante, praticamente todos os aparelhos terão um ou mais sensores e serão conectados para reportar seu desempenho e outros dados para sistemas de controle. Ou seja, usando dispositivos IoT, poderemos ter acesso a um grande número de informações que ajudam na tomada de decisões estratégicas. 

Quando falamos do cenário atual da tecnologia IoT, os números são de tirar o fôlego, e, no futuro, serão ainda mais impressionantes. Afinal, já avançamos muito em pouco tempo. No ano passado, alcançamos a marca de 23 bilhões de dispositivos conectados, e essa é uma realidade que vai crescer exponencialmente nos próximos anos, chegando a 30 bilhões em 2020, 50 bilhões em 2023 e 74 bilhões em 2025.

Os Desafios para Internet das Coisas Hoje

De acordo com as previsões, estes números aumentarão consideravelmente a cada ano, e, com eles, os desafios para lidar de forma inteligente e eficiente com todos os dados que serão gerados a cada segundo. Alguns dos principais desafios são:

5G

Com a chegada da conectividade 5G ao Brasil a partir de 2020, teremos conexões de alta densidade com menor latência, trazendo uma nova infraestrutura que irá impulsionar ainda mais a tecnologia IoT. Contudo, a adaptação das empresas a essa nova estrutura precisa ser rápida e eficaz, de forma que as mais adaptadas sairão na frente da concorrência. Com o custo cada vez menor dos dispositivos, a tendência é o surgimento de cada vez mais soluções IoT em negócios. 

Baixo aproveitamento

Como é possível ver pelos números do mercado de IoT, atualmente temos um grande número de dados e informações que são coletadas por dispositivos conectados já instalados, mas infelizmente não aproveitamos todo o potencial desta tecnologia. Desta forma, a maior parte desses dados acaba se perdendo, assim como as oportunidades e os lucros que eles poderiam gerar caso fossem analisadas com recursos de Big Data e IA. Uma analogia possível seria uma mangueira na qual só passam algumas gotas, com a maior parte da água sendo desperdiçada. Usando inteligência, é possível aproveitar todo o fluxo de informações. 

Segurança

Investir na segurança dos serviços de IoT também é fundamental, visto que a todo momento surgem casos graves de cidades que tiveram seus serviços interrompidos ou bloqueados por problemas de rede ou hackers. Esse tipo de vulnerabilidade acontece quando o sistema não tem as devidas medidas de segurança implementadas, o que significa que um simples aparelho conectado pode causar um estrago na rede. 

Privacidade de Dados

Com a grande quantidade de dispositivos IoT e dos smartphones interagindo com eles, hoje em dia é possível saber muito sobre o seu cliente. No entanto, cada vez mais a discussão sobre a privacidade de dados entra em pauta no mundo. Empresas como Facebook sofrem sanções e multas frequentes pela vulnerabilidade dos seus bancos de dados, que não garantem a privacidade exigida pelos usuários. Além disso, existe uma demanda cada vez mais urgente acerca do esclarecimento de quais dados são levantados. Que informações determinada empresa tem sobre você? E o que ela pode fazer com isso?

Conheça as principais aplicações e Cases Reais de Internet das Coisas nos Negócios em nosso e-book: